Seguidores

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Edição - Falanges de Malandros - Malandros e Malandrinhos da Encruzilhada:

Olá meus queridos seguidores, após uma sequencia de dias turbulentos, consegui acalmar os ânimos,  e assim prosseguir com as postagens para o conhecimento de todos.
Hoje irei escrever um pouco sobre as minhas vivências com os Malandros e Malandrinhos da Encruzilhada.

Os Malandros das Encruzilhadas tem um trabalho muito especifico, atuam sobre os caminhos, as encruzas, os desejos e as decisões. São Malandros que normalmente são sérios, poucos nos terreiros são falantes, abertos, carismáticos. Entretanto são amigos dos seus médiuns, zelam especialmente por seus médiuns, focando sua energia naqueles que os atravessam como medianeiros. Isso não significa que não possam realizar consultas, ter protegidos, afilhados e cuidar de outras pessoas, apenas aponta que eles tem uma ligação maior com os médiuns que os tem.
São muito rápidos em seus trabalhos, porém, são muito exigentes, consideram a fé das pessoas, a maior arma para auxilia - las. Não costumam atender pedidos de pessoas que não tem compromisso com a espiritualidade, ajudando apenas aqueles que acreditam verdadeiramente na espiritualidade.
Não tem boas relações com suas histórias pregressas, por isso tem imensa dificuldade de contar, são reservados enquanto a isso, importando - se apenas com seu trabalho espiritual. Pode ser que um lhe conte uma história de vida, preserve com muito carinho, eles realmente não gostam de fazer isso.
São os Malandros que mais trabalham com Exus e Pombagiras, realizando trabalhos intercruzados, gostam muito da própria falange, cuidam dos protegidos em todos os momentos, mas sua atuação de protetor é muito diferente nas ruas. São guardiões dos caminhos, sentinelas de Exu e Ogum, homens de fibra, de lei, cumprem seus acordos, honram suas palavras e jamais descumprem algo que se comprometeram a realizar.
Suas roupagens fluídicas variam muito, existem novos e velhos. Sendo mais comum roupagens de homens com meia idade.

Principais entidades da Linha da Malandragem na Falange:
Zé Pelintra da Encruzilhada
Zé Malandro da Encruzilhada
Malandro da Encruzilhada
Malandro das 7 Encruzilhadas/Malandrinho das 7 Encruzilhadas
Malandrinho da Encruzilhada
Entre outros.

Características:
Indumentária: As cores preto e vermelho são as mais usadas, podendo usar preto e branco, branco e vermelho, etc. A cor predominante costuma ser preto. Gostam de camisas, calças e chapéus de boa qualidade. As vezes usam ternos, gravatas, raramente utilizam cachecol.

Bebidas: Cerveja branca, cerveja preta, whisky, rum, conhaque, cachaças, gim, entre outros.

Comidas: Gostam de farofas de dendê, linguiça, cebolas, pimentas, sardinhas, entre outros.

Fumo: Charutos, charutinhos, cigarros de filtro vermelho.

Fundamentos: Naipe de Paus, Naipe de Espadas, Baralhos, dados vermelhos, dados brancos, bola 8 da sinuca, búzios, chaves, terços, pólvora, dendê, navalhas, facas, pembas, punhais, canivetes, bengalas, crucifixo, velas de cera e muitas outras coisas. 





Malandro 7 Estradas. "Vulgarmente chamado de Malandro do Terno vermelho."

"Muitos são os caminhos, muitas serão as escolhas, o passo incerto, a falta de fé, a prova de fogo, o momento de expiação. Coragem, meus filhos, esse mundo sempre será para os que tem coragem. Superação e força de vontade sempre serão exigidos. Não esmoreçam, não deixem os inimigos ocultos, irmãos negativados, muito menos os demônios interiores, vencerem a batalha que pra vocês encarnados é constante. Escolham sempre o estudo, a caridade, a retidão, as boas palavras e o equilibrio. A Estrada é longa, a caminhada pode parecer lenta, mas grandes vitórias merecem bons guerreiros."
Malandro 7 Estradas.
"Vulgarmente chamado de Malandro do Terno vermelho."

Agradecimento a Zé Malandro da Estrada:

"Quando pisei na Umbanda pela primeira vez, nunca pensei que fosse me apaixonar pelas entidades de luz e muito menos pela Linha da Malandragem.
Tudo começou com um Zé Pelintra Quimbandeiro. Foi ele quem me mostrou o poder da Malandragem, a garra, a ginga, a história...
Hoje posso dizer que se estou de pé, é graças a Malandragem e ao meu Malandro de fé, Seu Zé Malandro da Estrada, que com sua alegria e compreensão sempre me socorre quando mais preciso.
Sou muito grata a toda a Malandragem pelo carinho que têm comigo e espero que eles continuem crescendo cada vez mais dentro da nossa Umbanda Sagrada."
Salva a Malandragem! 
Texto da amiga seguidora Jacqueline Malafaia, expressando toda a sua fé e amor pela umbanda, principalmente a Linha da Malandragem.

Um Jogador na Igreja:


Um dia eu fui a missa cumprir minha obrigação, por não ter um livro de reza, levei um baralho na mão. Eu tava dentro da igreja com meu baralho elevado e não vi perto de mim um sargento ajoelhado.

Com pouca demora na igreja foi entrando dois soldados chego pra mim e disse: "Moço o senhor ta intimado, o doutor mandou chamar para ser interrogado".
E logo que eu cheguei na presença do doutor ele foi me interrogando e me chamando de pecador e perguntou se na igreja é lugar de jogador.

Eu fui e respondi pra ele: "Vo faze a explicação, depois de bem explicado o senhor vai me da razão pois verá que em todo baralho tem a sincera devoção".

"É que quando eu pego no Ás que tem uma pinta somente, eu me lembro que existe um só Deus Onipotente, que quando chamamos por Ele, Ele está sempre presente.

Quando eu pego no 2, com gosto me lembro eu, que com duas tabuas de pedras o Criador escreveu, os 10 Mandamentos Sagrados pra salvar os filhos Teus.

E quando eu pego no 3? Pego com sinceridade, me lembro das três pessoas da Santíssima Trindade. Pai, Filho e Espírito Santo em um só Deus de verdade.

E quando eu pego no 4 de quatro paus encruzados, eu me lembro que com quatro cravo que Jesus foi cravejado, foi preso sem dever crime, morreu sem dever pecado.

E quando eu pego no 5 me lembro daquele dia de dor, das cinco chagas doidas que sofreu nosso Senhor, derramou todo Seu sangue pra salvar o pecador.

E quando eu pego no 6? Me vem na imaginação dos seis dias da semana na obra da criação, em seis dias Deus fez tudo sem em nada por a mão.

E quando eu pego no 7, me lembro a hora, hora triste magoada dos sete passos de Cristo na sua Paixão Sagrada, com sete espadas de dor, a Mãe de Deus foi cravada.

E quando eu pego no 8, que oito pintas contem, eu me lembro que não se deve armar falso de ninguém, quem arma falso dos outros perdão no céu nunca tem.

E quando eu pego no 9? Me vem na imaginação dos nove meses ditosos da Divina encarnação, que Jesus passou no ventre da Virgem da Conceição.

Quando eu pego no 10, não posso me esquecer, os Dez Mandamentos ficaram para o homem se reger. Quem cumpre os Dez Mandamentos não quer sua alma perder.

E quando eu pego na DAMA, me lembro da Virgem Maria, de certo não fosse Ela, de nos o que seria? Se Ela é a Mãe de Deus e do pecador na agonia

Quando eu pego no REIS, vem logo na minha memória que Jesus Cristo Poderoso é o Divino Rei da Gloria, que não precisa de força pra alcançar a Vitória.

E foi assim seu doutor, que na igreja eu fui rezar, agora eu to a suas ordem para que o senhor deseja. Ou me ponha na cadeia ou me deixe retira."

O delegado pensou, pensou não achou o que fala, viu que eu estava certo, e começou a pergunta porque razão eu deixava o VALETE sem conta.

"Ora seu doutor o VALETE é uma carta ruim, por isso quando eu compro um baralho no VALETE eu dou um fim, pois parece com esse sargento que veio da parte de mim!"

Seu Zé Pretinho do Morro

Olá amigos seguidores, hoje venho atender um pedido muito especial, o desejo de um filho de fé, afilhado do seu Zé Pretinho do Morro, vou falar sobre esse Malandro, seus mistérios, magias e boêmia.
Se Zé Pretinho é um Malandro de humor a meio termo, sempre tendendo a ser mais sério, fechado, é um dos sentinelas, um dos sombras, trazem nessa rica falange, homens de magia, homens que trabalham frequentemente com a energia da noite, na verdade são os os sombras da madrugada, poeira das estradas. É um Malandro imensamente confiável, quando vai resolver problemas dos devotos, fala diretamente, quando não pode ajudar ou modificar algo, também é direto, sem rodeios. Não é o tipo de Malandro que tem muitos médiuns, porque é uma falange rara, muitas vezes trabalhando astralmente com os médiuns, auxiliando outros Malandros e Malandras. Tem um ar que para alguns ignorantes parece sombrio, entretanto faz parte da sua personalidade e mistério. Sempre foi muito desconfiado, tanto nas vidas passadas, quanto após o desencarne, mas quando designa responsabilidades ao seu médium, espera o cumprimento dos mesmos, pois sempre cumpre seus acordos, honrando o que mais valoriza, sua palavra. Não trabalha com muitos Malandros, e apesar de todas as coisas que são ditas por aí, pode sim trabalhar independente das falanges Zé Pelintra, Zé Malandro, etc, já que a Falange dos Zé Pretinhos é uma Sub Falange da Malandragem. Entretanto, nas missões, nos sortilégios e fortalecimento de trabalhos, tem parceiros para acompanhar. Além do grande chefe da Malandragem ser um Zé Pelintra que não trabalha mediunizado. Seu contra ponto é a Malandra Maria Preta, mas quase não se encontram, normalmente ele trabalha pouco com mulheres em geral, raras são as pombagiras que conseguem entrar na sua freqüência vibratória, Malandras nem sempre conseguem, são raras as exceções.

As características e fundamentos dele, variam de terreiro e tem muito do Morro e Zé Pretinho, com informações independentes. Anseio em breve escrever mais sobre Zé Pretinhos de um modo geral.
Espero que o seu protegido tenha gostado do texto, um abraço seguidor Pablo 
Salve Zé Pretinho do Morro ! Salve a Malandragem !
onselectstart='return false'